Arquivos Mensais: julho \28\UTC 2013

Construção – Salão da Comunidade Cristã Evangélica

Estamos na fase final de acabamento de nosso salão para nossas reuniões.

Com a Graça de Deus temos tido muita luta mas a mão do SENHOR tem sido sempre conosco, nos mostrando e confirmando a cada dia que realmente o SENHOR tem uma obra a realizar neste bairro e nós temos a possibilidade e a responsabilidade de sermos o instrumento de Deus para isso.

Seguem mais algumas fotos de nosso salão já com a fase de acabamento iniciada.

Louvamos ao Rei.2013-07-27 10.44.43 2013-07-27 10.45.08 2013-07-27 10.45.49 2013-07-27 10.46.06 2013-07-27 10.46.31 2013-07-27 10.46.43 2013-07-27 10.50.43 2013-07-27 13.48.57 2013-07-27 13.49.17 2013-07-27 13.49.37 2013-07-27 13.50.16 2013-07-27 13.50.47

Anúncios

A Realidade dos Atos Proféticos

Fonte desta Postagem: http://elohimomer.blogspot.com.br/2013/07/a-realidade-dos-atos-profeticos.html

atos profDe quem vem as profecias, de Deus ou dos homens? Deus precisa do agente humano para que uma profecia se cumpra? Deus realiza atos proféticos? O ato profético é tipológico?

Esta é uma tentativa de tratar deste tema de maneira séria (o que é difícil), pois por si só, os resultados de ensinamentos desta natureza confrontam e anulam diversas verdades fundamentais da Escritura.

Para os adeptos dos chamados “Atos Proféticos”, eles são o supra-sumo da revelação divina. Nesta corrente de pensamento os homens são fundamentais para que as profecias se cumpram, afinal, ensinam que os tais atos proféticos são sinais enviados ao mundo espiritual que tem suas consequências e resultados no mundo físico. Em determinado site, encontramos a declaração: “São sinais que apontam para o reino espiritual e que tem conseqüências no reino físico”¹. Com este ensino, é possível concluir que, a ação de Deus no mundo físico dependerá de um sinal místico enviado ao mundo espiritual, que por sua vez retornará ao mundo físico. É uma espécie de S.O.S. enviado a Deus para que então Ele possa agir no “mundo dos homens”. Ou seja, Deus necessita de um agente humano para que Sua vontade possa se cumprir no mundo físico.

Os atos proféticos devem ser totalmente formulados, concebidos e realizados por homens (criativos ou não) pois se são um sinal enviado ao mundo espiritual, que é o que todos os adeptos destas novidade ensinam,  então eles não devem ter partido de lá, correto? Pois seria como se Deus me mandasse uma carta dizendo as exatas palavras que eu deveria escrever para Ele numa nova carta para que Ele entre com sua ação! Absurdo! Entendeu? Leia de novo.

Aí a primeira lição desta série sobre “Atos Proféticos”: Os atos proféticos são uma invenção humana, fruto da imaginação humana com base numa necessidade local e até pessoal. Pois se são um sinal enviado ao mundo espiritual então eles não podem, com coerência e o mínimo de inteligência sobre o assunto, terem partido de lá do mundo espiritual.

Mas se partem do mundo espiritual e não são fruto da imaginação humana, então Deus, para estes profetas, é um burocrata que precisa de um carimbo em cada petição, e que não age sem o trâmite legal para poder atuar.

Absurdo!

E mais, alguns dizem que o próprio Deus realiza atos proféticos. Aí a coisa complica de vez, pois com este ensino, não ensinam mais que Deus é burocrata mas algo bem menos que isso, do qual não ousamos citar.

Será necessário deixarmos de raciocinar e meditar…, será necessário muito para cairmos nesse modismo chamado ato profético, mas o qual chamamos de “atos morféticos”, pois se alastram realmente e corroem como a lepra.

1: http://reavivamentoeuropa.wordpress.com/o-que-e-um-ato-profetico/

Exposição Bíblica do Livro de Malaquias

malaquiasQual era a situação do povo de Deus que vivia nos tempos em que a mensagem do profeta Malaquias foi dada por Deus?

Promessas de paz e prosperidade da parte de Deus que ainda não se cumpriram pois haviam inimigos cercando Israel. O templo não era maior e nem mais glorioso do que o de Salomão. Os sacerdotes mesmo, demonstravam pouca reverência e respeito pelos sacrifícios e pelo culto a Deus… Enfim, este era o cenário quando a mensagem de Deus foi enviada por boca do profeta Malaquias.

O culto a Deus era frio e negligenciado por causa destes fatores externos, mas os quais não justificavam de modo algum o desprezo e frieza do povo em seu culto a Deus.

A grande lição do primeiro capítulo é que Deus ama o seu povo. Ainda que o povo de Israel, que voltou do cativeiro a cerca de cem anos, duvidasse do cuidado e amor de Deus perguntando “em que nos tens amado?”; o SENHOR inicia sua repreensão ao seu povo com uma clara declaração de amor.

Ao falar de Esaú, Deus disse que Esaú edificava com esforço mas Deus não permitiria que permanecesse. Quantas vezes ele edificasse, quantas vezes Deus o arruinaria.

Com Israel a situação era contrária pois, quantas vezes os inimigos de Deus destruísse Sua cidade e seu povo por causa de seus pecados, quantas vezes seria edificada a cidade do SENHOR e o Seu povo. Os inimigos de Deus fariam eternamente força para ficarem de pé, mas o SENHOR sempre os manteria derrubados, todavia enquanto os inimigos de Deus fariam força para manter Israel derrubado, o SENHOR sempre o manteria em pé.

Nesta quarta-feira continuaremos nossa leitura de Malaquias 1.6 a 14. Você é nosso convidado.

Conferência Fiel Jovens 2014 (www.voltemosaoevangelho.com)

Expondo a Verdade na Igreja (Amor)

Uma Verdade Inconveniente. Uma Mentira Reconfortante

Uma Verdade Inconveniente. Uma Mentira Reconfortante

Por todas as definições dadas à Igreja, seja quais forem, uma coisa é certa e inquestionável, a saber, a Igreja é um conjunto de pessoas que compartilham algo (mas isso na pior das definições). A Igreja é uma comunidade de pessoas que fazem parte de um organismo vivo, dinâmico e com uma missão a cumprir.

Neste corpo vivo, Jesus é o Cabeça e todos os demais são membros deste corpo, sendo então que não há destaque para nenhum dos membros pois o lugar de destaque neste corpo é sempre a Cabeça que é Cristo. Todas as funções e ações executadas por este corpo partem da ordem e capacidade concedida pela cabeça, isto é, uma mão não providencia meios e nem capacita outra mão a agir e trabalhar. Neste sentido são independentes em suas funções uma da outra mas dependentes totalmente da cabeça que é de onde partem as ordens para ação, mesmo quando uma mão auxilia a outra.

Pois bem…, a Escritura declara, ao fazer esta analogia da Igreja com um corpo humano do qual Cristo é o Cabeça, que somos membros uns dos outros. Paulo usa esta comparação: “Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros.” (Rm 12.4 e 5).

E Novamente repete dizendo: “Para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros de maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele.” (1Co 12.25 e 26)

Assim, certamente os membros cuidam, corrigem, exercem amor, cuidado, ensinam-se uns aos outros, e cuidam dos elementos estranhos ao corpo para saúde integral do corpo.

Aqueles que possuem responsabilidades dentro do corpo de modo mais notório, isto é, os que exercem função de liderança, certamente são os que primeiramente deveriam cuidar da saúde deste corpo conduzidos pela Cabeça que é Cristo.

Observamos na Palavra de Deus que, antes de tudo deve haver amor entre os irmãos, e este amor, se real e operante, certamente conduzirá à repreensão de algum irmão pois este mesmo amor é exercido por Cristo. Ele mesmo diz à Sua Igreja: “Eu repreendo e castigo a todos quantos amo…” (Ap 3.19)

Não se pode deixar que, por exemplo, seja deixado um ensinamento se enfiltrar no aprisco do SENHOR, sabendo que este ensino não parte do mesmo SENHOR, isto é traição! Por vezes há o constrangimento nos líderes a não denunciarem como errôneo determinados ensinos, e isto pelo simples fato de temerem contrariar aqueles que estão a disseminar tais ensinos. Isto é traição ou temor, sob o disfarce de amor ou humildade.

O Dr. Shedd em seu livro “O Líder que Deus Usa” escreveu o seguinte:

“Alguns líderes podem facilmente cair na armadilha de acreditar que um seguidor que fala a verdade é desleal. Muito melhor do que cercar-se com homens que somente falam para seus líderes o que eles querem ouvir é o rei ou o pastor que tem conselheiros leais que lhe dizem a verdade… Os líderes piedosos lembram que a verdade é tão importante quanto o amor. Se a verdade é reprimida pelo interesse de proteger uma ação pecaminosa, o amor será sacrificado junto com a verdade. A confrontação é um atributo necessário da verdade.”

O líder que Deus usa, foi colocado na Igreja para servir de luz para os demais seja em demonstrar o Amor e também a Verdade. Certamente é necessário amor em primeiro lugar, humildade, mansidão. É um dos pré-requisitos do presbítero, que ele seja “amigo do bem” (1Tt 1.7, 8) segundo as Escrituras. Ser amigo do bem inclui ser inimigo do mal.

Líderes, presbíteros, pastores… saibam que em suas igrejas não será possível ser útil e obedecer ao SENHOR Jesus, somente deixando a mentira. Esta é apenas metade do mandamento. Você deverá também falar a verdade e, não se engane, a Verdade confrontará sua ovelha, seu líder ou mesmo seu pastor. Faça-o porém com amor pois também sem ele não será possível cumprir o mandamento.

“Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo;

porque somos membros uns dos outros.” (Ef 4.25)

Últimas Coisas – (Escatologia)

Imagem

Hoje na Comunidade Cristã Evangélica do Jardim Belém, às 19:30h, entraremos na reta final de nossa série de 28 estudos bíblicos.

Hoje iniciamos a sequência “Últimas Coisas”, onde o assunto será o Reino de Deus.

Você é nosso convidado. Venha acompanhar esta série de estudos onde a Volta de Jesus, Ressurreição e Juízo final, Arrebatamento da Igreja… serão nosso foco e tema. Participe conosco.